Após live sobre supostas “fraudes”, Bolsonaro é chamado de “moleque” por ministro do Supremo Tribunal Federal

A live do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na noite desta quinta-feira (29), onde atacou mais uma vez o sistema eleitoral brasileiro, repercutiu negativamente entre os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo a colunista do jornal Folha de S. Paulo, Mônica Bergamo, um dos ministros o chamou de “moleque”, tese defendida por outros magistrados.

Não só no STF, a série de ataques ao sistema eleitoral também têm repercutido negativamente junto aos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Um dos integrantes da corte eleitoral afirmou que as respostas institucionais dadas pelo órgão têm sido boas, mas não suficientes para interromper Bolsonaro e suas declarações contra a legitimidade da urna eletrônica. Na visão da corte, seria necessário atuar de maneira mais firme, com medidas concretas e até punições.

Na live de ontem, apesar de falar mais uma vez em fraude eleitoral nas urnas, Bolsonaro disse não ter provas. “Não tem como se comprovar que as eleições não foram ou foram fraudadas”, disse. “Não temos provas, vou deixar bem claro, mas indícios que eleições para senadores e deputados podem ocorrer a mesma coisa”, comentou em outro momento. Durante a live do presidente, o TSE rebateu as diversas alegações feitas por Bolsonaro, em tempo real.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp