CHUVAS NO ESTADO: Paraíba tem atualmente 10 açudes sangrando, porém 18 em situação crítica – CONFIRA QUAIS

Com dados da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa-PB), pelo menos 10 açudes na Paraíba estão sangrando. Do outro lado, o Estado registra 18 reservatórios com situação crítica. Os dados são referentes a maio, e foram levantados neste sábado (15), data de fechamento desta matéria.

Os dados são atualizados pela Aesa diariamente, e cada açude tem uma data de registro específica no tocante a sua capacidade. Por exemplo, o açude com maior nível de água no fechamento da matéria é o Pimenta, localizado em São José de Caiana, com 106,80% de sua capacidade, registrada na sexta-feira (14).

Segundo a Aesa, existem 134 açudes no Estado, e deles, 10 encontram-se sangrando (acima de 100%), 83 em nível de normalidade (entre 100% e 20%), 23 em observação (entre 20% e 5%) e 18 em situação crítica (abaixo de 5%).

Os açudes que estão sangrando são os seguintes:

Pimenta (São José de Caiana), com 106,80% da sua capacidade em 14/05;

Marés (João Pessoa), com 103,78% da sua capacidade em 13/05;

Santa Rosa (Brejo do Cruz), com 103,34% da sua capacidade em 13/05;

Bom Jesus (Carrapateira), com 101, 58 da sua capacidade em 12/05;

Manoel Marcionilo (Taperoá), com 100,89% da sua capacidade em 13/05;

Cachoeira da Vaca (Cachoeira dos Índios), com 100,48% da sua capacidade em 11/05;

Jenipapeiro (Sâo José da Lagoa Tapada) com 100,41% da sua capacidade em 12/05;

Vazante (Diamante), com 100,31% da sua capacidade em 14/05;

São José II (Monteiro), com 100,12% da sua capacidade em 13/05; e

Pilões (São João do Rio do Peixe), com 100,01% da sua capacidade em 11/05.

Dos 83 reservatórios em normalidade, o destaque vai para cinco açudes que estão próximos do sangramento, com seus níveis acima de 99%, um deles inclusive com 100% da capacidade. São eles:

Cafundó (Serra Grande), com 100% da sua capacidade em 13/05;

Tavares II (Tavares), com 99,84% da sua capacidade em 12/05;

Gamela (Triunfo), com 99,69% da sua capacidade em 14/05;

Cachoeira dos Alves (Itaporanga), com 99,61% da sua capacidade em 14/05; e

São José I (São José de Piranhas), com 99,26% da sua capacidade em 14/05;

Chuvas

Não por acaso, muitas das regiões e municípios que abrigam esses açudes sangrando ou próximos disso têm recebido chuvas ultimamente. Exemplo mais notório é o açude Marés, em João Pessoa. A capital registrou fortes chuvas no fim desta semana, e fez com que o nível do reservatório subisse de 92,25% de volume ocupado em 1º de maio para 103,78%. Ele possui capacidade para 2.136.637,00 metros cúbicos de água.

A Aesa observou que em Brejo do Cruz, por exemplo, choveu mais de 116mm em maio. São José de Caiana registrou 52mm de chuvas; São José da Lagoa Tapada 76,1mm; e Monteiro pouco mais de 47mm, isso apenas nas cidades em que açudes apresentam sangramento.

Triunfo (75,2mm), Serra Grande (38,9mm), Itaporanga (32,1mm), Tavares (25,8mm) e São José de Piranhas (18mm) também apresentaram chuvas nos últimos 15 dias, o que ajudou aos reservatórios localizados nos respectivos municípios a se manterem bem ocupados.

Situação Crítica

Contudo, mesmo com as chuvas ajudando algumas regiões a acumularem água, outras seguem com seus reservatórios vazios. Segundo a Aesa, seis açudes estão completamente zerados. São eles:

Covão (Areial), com 0% da sua capacidade em 12/05;

Emídio (Montadas), com 0% da sua capacidade em 12/05;

Manguape (São Sebastião de Lagoa de Roça), com 0% da sua capacidade em 14/05;

Milhã (Puxinanã), com 0% da sua capacidade em 12/05;

Ouro Velho (Ouro Velho), com 0% da sua capacidade em 12/05; e

São José IV (São José do Sabugi), com 0% da sua capacidade em 06/05.

Os dados completos sobre a situação de cada açude da Paraíba podem ser acessados na plataforma da Aesa, clicando aqui.

Fonte: Polêmica Paraíba

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp