COVARDIA: dr. Jairinho tentou impedir que o corpo de Henry fosse ao IML

Um novo depoimento dado à polícia indica que o vereador Dr. Jairinho (afastado do Solidariedade) tentou fazer com que o corpo de seu enteado, o menino Henry Borel, não fosse encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

A testemunha é um alto executivo da área da saúde. Em depoimento prestado na tarde de quarta-feira (7), ele afirma que recebeu mensagens do vereador durante a madrugada de 8 de março. 

O contato teria sido feito pouco mais de uma hora após Jairinho chegar com a namorada, Monique Medeiros, mãe do garoto, e a criança – já morta – ao Hospital Barra D’Or.

O casal alegou que o menino sofreu um acidente em casa e que estava “desacordado e com os olhos revirados e sem respirar” quando os dois o encontraram no quarto e o levaram para o hospital. Laudo do IML apontou que Henry Borel sofreu agressões e tinha lesões em várias partes do corpo.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp