Em pleno período de pandemia, Energisa tem lucro bilionário; em 2021 foram mais de R$ 3 bi e em 2022 já ultrapassa meio bilhão

Apesar de muitos setores terem enfrentado dificuldades financeiras por conta da pandemia do coronavírus, com algumas empresas tendo, até mesmo, que decretar falência, o Grupo Energisa não tem do que reclamar. Conforme levantamento divulgado pela própria empresa, no ano de 2021 o grupo alcançou um lucro líquido de R$ 3,06 bilhões e só nesse primeiro quadrimestre do ano de 2022 já foram quase R$ 600 milhões.
O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado consolidado da companhia foi de 1,85 bilhão de reais, alta de 51,3% no mesmo comparativo. Na análise para efeitos não recorrentes, o Ebitda atingiu 1,33 bilhão no período, 37,6% superior ano a ano.

As vendas de energia (mercado cativo + TUSD) também avançaram 1,5% no acumulado do ano, atingindo 37.000,7 GWh. “Comparado a 2019, período pré-pandemia, esse aumento chega a 2,4%, com 10 das 11 concessões crescendo. Já no quarto trimestre, o mercado total sofreu uma retração de 2,6%, em função, principalmente, do clima mais ameno e úmido nas regiões de atuação da Energisa”, disse a empresa.

Ainda conforme dados divulgados pelo grupo, os investimentos consolidados da companhia foram de 1,158 bilhão no trimestre, aumento anual de 71%. Com isso, a empresa somou 4,2 bilhões de reais no ano de 2021, alta de 55% sobre 2020.

Lucro na Paraíba é destaque

Apesar de ser um estado pobre, a Paraíba é apontada pela empresa como um dos estados mais lucrativos. Dez das 11 distribuidoras do país, por exemplo ficaram abaixo do limite regulatório da Aneel para perdas. Destaques de evolução para a Energisa Paraíba e Energisa Rondônia, sendo que na Paraíba o indicador fechou em 12,78%.

Em 2021, por exemplo, devido a alta desse lucro, a empresa ousou e, através de sua subsidiária Alsol, investiu na geração da energia fotovoltaica conquistando licenças para construção de dois parques solares também na Paraíba, o Rio do Peixe 1 e Rio do Peixe 2, com total de de 78 MWp de capacidade.

Monopólio

A Energisa hoje contra quase a metade do país, sendo responsável por 11 distribuidoras localizadas nos Estados de Minas Gerais, Sergipe, Paraíba, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo, Paraná, Acre e Rondônia, com uma área de concessão que atinge 2.034 mil Km2, equivalentes a 24% do território nacional (Fonte: IBGE, julho de 2016). Atualmente o grupo está atendendo aproximadamente 7,7 milhões de consumidores, cobrindo o equivalente a 10% da população do Brasil.

 

PB Agora

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp