Gabigol paga multa de R$ 110 mil por aglomerar em cassino clandestino e Justiça extingue processo

Gabigol foi detido em 14 de março por aglomerar em cassino clandestino em São Paulo com 150 pessoas e, nesta terça-feira (25/5), pagou R$ 110 mil à Justiça, que extinguiu o processo de crime contra a saúde pública pelo qual o jogador do Flamengo respondia. O dinheiro será destinado ao Fundo Municipal da Criança e do Adolescente.

A quantia é a soma de 100 salários mínimos e foi uma proposta da Promotoria, aceita por Gabriel em audiência judicial por videoconferência, realizada em 26 de abril. Em troca do pagamento feito à instituição, ele teria a extinção da ação contra ele.

Caso ele fosse julgado culpado pelo crime de infração à medida sanitária, poderia cumprir de um mês a um ano de detenção, além de arcar com multa.

Na época, Gabigol se pronunciou sobre o ocorrido e justificou: “Era meu último dia de férias”. “Não tenho costume de ir a cassino, a única coisa que eu jogo é videogame. Estava com meus amigos, fomos comer. Quando estava indo embora, a polícia chegou mandando todo mundo ir para o chão. Faltou sensibilidade da minha parte. Era meu último dia de férias, e estava feliz de estar com meus amigos. Faltou sensibilidade. Mas usei máscara, álcool gel… Quando percebi que tinha um pouquinho mais de gente, estava indo embora”, explicou.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp