Idosos acamados de abrigo clandestino interditado, em João Pessoa, eram impedidos de tomar água para não sujar fraldas, revela delegada

Os idosos acamados de um abrigo clandestino interditado, no bairro de Tambauzinho, em João Pessoa, no início do mês de abril deste ano, eram impedidos de tomar água para não sujar as fraldas geriátricas. É o que revela ao ClickPB, Vera Lúcia Soares, delegada Especializada em Atendimento ao Idoso da Capital, após ouvir diversas testemunhas durante a investigação. Cinco idosos já morreram no hospital depois que foram resgatados.

“Não deixava que os idosos acamados tomassem água para não sujar a fralda geriátrica. É por isso que eles chegaram no hospital Padre Zé desidratados. Ele quando chegaram lá pareciam que tinham vindo do deserto. Eles só queriam tomar água e comer. Disseram que o abrigo recebia doações de alimentos, mas nada ia para os idosos”, revelou ao portal, destacando que a alimentação se restringia a carne de soja e quando não tinha ficavam sem a proteína.

O abrigo foi interditado após o Ministério Público da Paraíba (MPPB) receber denúncias de maus-tratos no local. Ao chegar, constatou a veracidade das denúncias. Os moradores foram transferidos para hospitais, entre ele o Padre Zé, na Capital, e outros para casas de acolhimento. Funcionários, familiares e demais testemunhas foram ouvidos no inquérito. No dia do flagrante do MPPB, o proprietário que foi preso, mas passou por audiência de custódia e solto.

No abrigo clandestino, moravam 39 idosos em situações consideradas degradantes. Pelo menos 22 deles, que estavam doentes, foram internados em hospitais da Capital. Um deles testou positivo para a Covid-19 e foi encaminhado para uma unidade de saúde que atende casos de coronavírus.

clickpb

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp