Marcelo Queiroga diz que Bolsonaro pediu apenas que cuidasse da gestão do Ministério da Saúde ao ser questionado sobre autonomia

O Ministro da Saúde, o médico paraibano Marcelo Queiroga, ao ser questionado sobre autonomia na pasta, disse que o presidente da República Jair Bolsonaro lhe pediu apenas que cuidasse da gestão do Ministério para que os recursos fossem aplicados de maneira própria. Queiroga está sendo ouvido pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia de Covid-19, nesta quinta-feira (06).

Senadores estão fazendo perguntas a respeito de aquisição, distribuição de vacinas contra o novo coronavírus, do planejamento da imunização e até mesmo sobre o uso ou não de medicamentos não comprovados para tratamento da Covid-19. Em alguns dos momentos da sessão, o ministro chegou a dizer, como o ClickPB acompanhou, que sua “estratégia é a vacinação”. No início de sua gestão, Queiroga enfrentou a paralisação da vacinação em pelo menos oito capitais brasileiras por falta de vacinas.

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) questionou o ministro da Saúde se ele teria ‘carta branca’ para agir, caso houve divergência entre o pensa o Planalto e o Ministério da Saúde. “O presidente só me pediu para que cuidasse com a gestão do Ministério para que os recursos fossem aplicados de maneira própria e é isso que nós estamos procurando fazer. naturalmente que esses protocolos estão sendo construídos e é função minha orientar o presidente tecnicamente em relação as questões sanitárias, não só o presidente, mas a todos os brasileiros. Isso é função do Ministério da Saúde e para isso preciso do apoio de todos”, afirmou.

clickpb

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp