Olimpíadas: duplas do vôlei de praia vão ao mata-mata sem chances de finais brasileiras e com possibilidade de até três medalhas

Não foi agradável para os brasileiros o chaveamento das duplas do vôlei de praia na fase mata-mata dos Jogos Olímpicos de Tóquio. As tabelas do masculino e do feminino eliminaram qualquer possibilidade de final brasileira, como quase aconteceu na Rio-2016. Na melhor das hipóteses, três duplas, no máximo, podem sair com medalha.

Entre as duplas masculinas, a tabela é mais cruel. Se Evandro/Bruno e Alison/Alvaro despacharem os letões Plavins/Tocs e os mexicanos Gaxiola/Rubio, respectivamente, teremos confronto brasileiro já nas quartas de final. Ou seja, menos uma dupla medalhista.

Entre as duplas femininas, segue possível a dobradinha no pódio, mas obrigatoriamente com bronze para uma e ouro ou prata para a outra. Isso porque, caso Ana Patrícia/Rebecca e Ágatha/Duda avancem na tabela, se encontrariam na semifinal. Naturalmente, uma das duplas disputaria o ouro e a outra, o bronze.

Na noite deste sábado (manhã de domingo em Tóquio), às 22h (de Brasília), Ana Patrícia e Rebecca abrem a “rodada brasileira” do vôlei de praia contra as chinesas Fan Wang e Xinyi Xia. Já na madrugada de domingo, às 5h, Agatha e Duda enfrentam as alemãs Laura Ludwig e Margareta Kozuch.

Já no naipe masculino, os jogos são na segunda-feira. Na madrugada, às 1h, Evandro e Bruno encaram Martins Plavins e Edgars Tocs. às 9h, Alison e Alvaro batem de frente com Josue Gaston Gaxiola Levya e Jose Luis Rubio Camargo.

O GLOBO

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp