‘Pensei que o cara tivesse gostado’, diz Anderson do Molejo sobre acusação de estupro

A polêmica envolvendo a acusação de estupro de Anderson Leonardo, do grupo Molejo, e MC Maylon, ainda continua. O cantor deu uma entrevista para Alê Oliveira, no Youtube, e deu mais detalhes sobre a história que foi parar na justiça.

Durante o bate-papo, ele contou que ficou surpreso de ter sido acusado de estupro e revelou que acreditava que o rapaz tivesse gostado do encontro. “Você fica assustado, porque o cara expõe uma parada sua, que é um negócio ali, trancadinho, tranquilo. E juro que pensei que o cara tivesse gostado. Pelo visto não gostou. Explanou”, disse.

Anderson completou negando que tivesse se relacionado a força com o MC:  “Meu negócio é direitinho, bacaninha, no romance. Até porque um senhor tem que ser romântico. Ainda mais do jeito que foi contada a parada. Eu não tenho essa força”.

Entenda o caso:

No começo de fevereiro, Maycon Douglas Porto do Nascimento Adão, de 21 anos, conhecido como o MC Maylon,  tornou público que foi violentado pelo artista no ano passado.Para a polícia, o jovem relatou que no dia 11 de dezembro Anderson marcou uma reunião, mas em vez de ir para algum local onde eles iriam tratar sobre trabalho, o pagodeiro o levou para um motel chamado ‘Queen’ e disse: “Calma, é uma reunião sigilosa que pode mudar a sua carreira”.
A vítima ainda contou que o artista o jogou na cama dizendo: “Não chora seu filha da puta, sua vagabund* piranh*”. Na sequência, ele teria arrancado sua roupa. Ao dizer que era viagem, Anderson se irritou e respondei: “Put* não é virgem”.

Maycon disse que Anderson não usou camisinha nem lubrificante. Com dificuldade para penetrá-lo disparou: “Por que você que é put*, piranh*, eu não consegui enfiar meu pa* em você”.

Em depoimento na delegacia, o vocalista do Molejo contou que ambos tinham relações sexuais com consentimento. Anderson nega que tenha cometido o crime. Além de falar em depoimento, ele, por meio de sua assessoria de imprensa, também negou o caso:  “Anderson conhece a suposta vítima, mas jamais praticou os atos veiculados na imprensa, inclusive, tem conhecimento que a suposta vítima já esteve presente em diversas apresentações artísticas do cantor, em ocasiões posteriores à falaciosa alegação, o que demonstra, claramente, que a narrativa publicada nunca ocorreu”.

Fonte: POLÊMICA PARAÍBA

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp