Policiais militares que atuaram na prisão do suspeito de matar Patrícia Roberta são condecorados

Seis policiais militares que participaram da prisão do suspeito de matar a pernambucana Patrícia Roberta, em João Pessoa, foram condecorados, na manhã desta sexta-feira (30), na sede do comando geral da Polícia Militar, no centro da Capital. Eles receberam a láurea do “Mérito Operacional”, como forma de reconhecer e enaltecer o trabalho desempenhado no caso ocorrido nesta semana, com o desaparecimento da jovem, descoberta do corpo e prisão do amigo suspeito de matá-la.

A homenagem foi concedida ao capitão Rusemberg, os cabos Claudino, Jailson e Frederick, e os soldados Hiago e Ramos. A condecoração aconteceu em uma solenidade restrita e simbólica, seguindo os protocolos de prevenção sanitária, segundo informações obtidas pelo ClickPB. As láureas foram entregues pelo próprio comandante-geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, que falou da importância do trabalho dos policiais.

“Temos que honrar e agradecer o trabalho incansável de nossos policiais, que neste caso em específico, em uma ação integrada com os companheiros da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros Militar, promoveram o sentimento de justiça para à família da jovem Patrícia. Foi uma resposta importante, enaltecida pelo próprio Governador João Azevêdo, e essas láureas que estão sendo entregues é nossa forma de dizer um muito obrigado por tudo que nossos policiais militares fazem pela sociedade”, disse o coronel Euller.

O cabo Claudino, um dos homenageados, agradeceu a homenagem e expressou o sentimento que ficou após ter atuado no caso Patrícia Roberta. “O reconhecimento é importante, principalmente para nós que somos dessa profissão que lida diretamente com os problemas sociais da atualidade. Nunca vou esquecer do momento em que entramos na casa em que estava o suspeito. Uma residência escura, que lá dentro estava o acusado de tirar a vida de uma jovem, cheia de sonhos pela frente. Sou pai de duas filhas, me coloquei no lugar da família dela quando soube de tudo. Vários sentimentos tomaram conta de nós e, graças a Deus, conseguimos prender o suspeito para que a justiça seja feita.”

Relembre o caso

Patrícia Roberta, que tinha 22 anos, era de Caruaru, Pernambuco. Ela veio passar o fim de semana na casa do Jonathan Henrique, amigo dela, no bairro de Gramame, zona sul da Capital da Paraíba. Após deixar de manter contato com a família, a jovem passou a ser considerada desaparecida e num trabalho integrado entre as Forças de Segurança Pública da Paraíba, o corpo dela foi encontrado em uma mata, no conjunto Novo Geisel, na terça-feira (27). Horas depois, os policiais chegaram até o suspeito, que estava na casa de um amigo, no bairro de Mangabeira III.

clickpb

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp