Presidente do Fortaleza confirma busca por Diniz e diz que limite para troca na Série A influenciou demissão

Após a saída de Enderson Moreira, o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, conversou com o Globo Esporte desta segunda-feira. Ele admitiu a procura por Fernando Diniz, mas confessou que a situação ainda está em aberto. Também justificou a demissão de Enderson – com cerca de 80% de aproveitamento – pela pressão dos torcedores e planejamento para a Série A.

– Essa pressão já existia desde o término da Série A. O torcedor já se mostrava impaciente e insatisfeito. Entendemos que deveria seguir o trabalho, fizemos a reformulação, montamos um novo elenco, mais jovem e bem competitivo. Conseguimos bons resultados, mas a pressão sempre existia. Após derrota para Santa Cruz e agora para o Bahia. Falta um mês para o Campeonato Brasileiro. O comandante que chegar agora vai ter tempo de implantar sua filosofia, em um trabalho que já vem sendo montado. Com bom nível físico, bom elenco. Que a gente possa nas próximas competições ter resultado e perfomance ainda melhor.

– Já tivemos contato com Diniz, mas é uma situação ainda em aberto e não vou ter pressa para definir o treinador. Temos tempo para escolher e fazer a escolha correta. É extremamente estratégica, direciona muitas coisas no clube, então vamos fazer para acertar.

 

O Campeonato Brasileiro da Série A de 2021 será o primeiro da história com algum limite para as trocas de técnicos dentro da competição: cada time só poderá ter dois treinadores ao longo do torneio. Ao mesmo tempo, cada técnico só poderá treinar dois times diferentes. Marcelo Paz comentou que isso impactou para a decisão de demitir Enderson.

– Você precisa tomar uma decisão, até com a nova regra do Campeonato Campeonato que só pode trocar um treinador, se o treinador já chega no Brasileiro extremamente pressionado, como o Enderson Moreira, talvez a gente tivesse que tomar uma decisão no começo do campeonato. Seria muito ruim para o planejamento futuro do clube. A gente antecipou uma situação, entendendo que quem chegar agora vai ter tempo de chegar mais forte no Brasileiro, que é a principal competição do ano.

Perfil

Sobre o perfil do novo técnico, Paz comentou.

– A gente quer um comandante com vontade de vencer na carreira, que encare o Fortaleza como grande desafio e de preferência um técnico que tenha um estilo de jogo agressivo, que jogue pra cima, finalize muito no gol adversário. São esses dois perfis, vontade de vencer, que encara o Fortaleza como desafio pessoal também, e um time cada vez mais propositivo – detalhou.

Marcelo Paz, presidente do Fortaleza — Foto: Thiago Gadelha/SVM

Marcelo Paz, presidente do Fortaleza — Foto: Thiago Gadelha/SVM

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp