Profissional de saúde de João Pessoa alerta população para não abandonar hábitos de higiene adquiridos na pandemia

“É importante que a população mantenha os hábitos de higiene adquiridos desde o início da pandemia de Covid-19 para evitar o contágio por outros vírus, a exemplo das gripes e resfriados, doenças que têm lotado as unidades de saúde de João Pessoa”. O alerta é do clínico geral e diretor técnico da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Bancários, Ellton Lima, ao relatar o registro de, aproximadamente, 4.500 atendimentos entre janeiro e fevereiro deste ano por síndromes gripais.

“Verificamos uma média de atendimento muito alta nos dois primeiros meses deste ano. Cerca de 4.500 pacientes adultos procuraram a UPA dos Bancários para tratamento. Esse número extremamente alto é justificado porque, nesse período, estávamos passando pelo surto de influenza e também tínhamos a variante ômicron em circulação no Brasil”, explicou.

Já na pediatria, conforme informou Ellton Lima, em janeiro e fevereiro deste ano, foram 200 atendimentos na unidade. “O número menor se deve ao fato de termos, em determinado período, ficado com atendimento exclusivo para adultos na UPA, deslocando o serviço de pediatria para o Hospital do Valentina”, destacou.

Com relação aos meses de março e abril, o médico disse que foram 1.118 atendimentos de resfriados/síndromes gripais em pessoas adultas e 690 sintomas da doença na população infantil. “Em março, notamos uma queda de basicamente um quarto na procura, justamente devido ao controle do surto de influenza e da ômicron, voltando os casos a linha epidemiológica esperada com casos mais tranquilos de resfriados/síndromes gripais”, observou.

Sobre as recomendações para evitar o contágio, o médico citou a lavagem correta das mãos como a principal forma de proteção imediata dessas doenças, “que são facilmente transmissíveis e a falta de higiene favorece a proliferação dos vírus por vias aéreas superiores, resfriados comuns e infecções de pele”, disse.

O diretor técnico da UPA dos Bancários recomenda que, ao lavar as mãos com sabão, as pessoas façam a limpeza profunda entre os dedos, na palma e nas costas da mão. “Esses mesmos cuidados devem ser mantidos quando optarem pela higiene com álcool. Além dos cuidados pessoais, a higienização também deve ser feita nos ambientes de casa e de trabalho para diminuir o contágio, já que materiais como caneta, colher e outros tipos são potenciais transmissores de doenças”, acrescentou.

Ele ressalta ainda que no primeiro sinal de que está com resfriado ou gripe, é preciso adotar a máscara como proteção individual e coletiva, pois esses vírus são transmissíveis também por gotículas de salivas, tosses e espirros.
Ellton Lima disse ainda que a diferença entre o resfriado e a gripe está no fato da primeira ser mais comum e ter sintomas mais fracos, tipo tosse seca e coriza, enquanto a gripe se manifesta em diversas modalidades, com febre e outras reações, podendo causar internações e, por isso, requer cuidados especiais.

secompb

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp