Tratamento especial: Bolsonaro pede que Exército matricule sua filha em colégio militar sem processo seletivo

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), solicitou ao comandante do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, um tratamento especial à filha dele, Laura Bolsonaro, de 10 anos. Pediu, também, que ela seja matriculada no Colégio Militar de Brasília sem ter de passar por processo seletivo.

A informação foi confirmada ao jornal Folha de S.Paulo pelo Centro de Comunicação Social do Exército. O órgão acrescentou que o comandante da Força ainda não proferiu uma decisão e que ele aguarda uma manifestação do Departamento de Educação e Cultura.

Na última terça-feira (24), Bolsonaro confirmou a apoiadores o desejo de matricular a filha no colégio militar.

“Minha filhota, do Colégio Militar de Brasília”, disse um apoiador ao presidente, em transmissão feita por um canal bolsonarista nas redes sociais. “Legal. A minha deve ir ano que vem para lá, a imprensa já tá batendo. Eu tenho direito por lei, até por questão de segurança”, respondeu Bolsonaro.

Segundo o Exército, o comandante ainda não proferiu uma decisão a respeito do pedido. O general aguarda uma manifestação do Departamento de Educação e Cultura da Força, conforme previsto em regulamento que trata do funcionamento dos colégios militares, afirmou o CCOMSEx à reportagem nesta quarta (25). A partir disso, a questão “será levada para despacho com o comandante”.

Se Laura for matriculada no Colégio Militar de Brasília sem passar pelas provas exigidas de candidatos mirins, o Exército deve repetir o benefício dado ao filho da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP). No ano passado, o menino de 11 anos foi matriculado no colégio, sem seleção, para cursar o sexto ano.

Zambelli é uma das principais apoiadoras de Bolsonaro. A deputada admitiu o privilégio, mas negou irregularidades.

 

Fonte: Folha de S.Paulo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp