Vigilante de banco de leite em João Pessoa relata que atirou após funcionário ameaçar várias pessoas com uma faca; homem ainda tentou estuprar colega

O vigilante que atirou e matou um funcionário do Banco de Leite Anita Cabral, que funciona na Maternidade Frei Damião, em João Pessoa, disse em depoimento que agiu após ser ameaçado com uma faca. Em pânico, a vítima ameaçou várias pessoas da unidade de saúde e antes disso já havia tentado estuprar uma funcionária do local. O caso aconteceu na manhã desta sexta-feira (27). 

O delegado plantonista da Central de Flagrantes, Luiz Eduardo Montenegro, disse ao ClickPB que seis pessoas foram ouvidas e ninguém foi preso. Em depoimento, o vigilante que atirou no funcionário contou que agiu em legítima defesa. “O vigilante atirou porque, a vítima que faleceu, partiu para cima dele com uma faca em mãos. Ele estava em situação de pânico e ameaçando todo mundo, tentando esfaquear todo mundo e teria tentado também estuprar uma outra funcionária, um pouco mais cedo. Foi uma situação complexa”, afirmou.

Após as oitivas, o delegado Luiz Eduardo Montenegro revelou que vai ser instaurado um inquérito por portaria. “De fato houve tentativa de estupro por parte do agente que em seguida atentou contra a vida do vigilante com uma faca. E o que restou do vigilante, após inúmeros comandos de “largue a faca”, “pare com isso” etc, foi efetuar um disparo. Mesmo assim o agente continuou em direção ao mesmo com a faca em punho e aí o vigilante efetuou o segundo disparo”.

ClickPB.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp